Páginas

25 de novembro de 2014

'Operação Guerrero' deve custar R$ 30 milhões ao Corinthians até 2018


Corinthians e Guerrero já manifestaram o objetivo comum pela renovação de contrato, que acaba em 15 de julho de 2015. Os empecilhos, neste momento, são valor e forma de pagamento das luvas para a assinatura. O camisa 9 pediu inicialmente US$ 7 milhões (R$ 17,8 milhões) à vista, algo já descartado. O Timão aceita chegar a US$ 4 milhões (cerca de R$ 10 milhões) e pretende pagar uma parte à vista e parcelar o restante. Questionado sobre o assunto, Guerrero prefere não comentar.
Nesta semana, o diretor de futebol, Ronaldo Ximenes, deve ter mais reuniões com o jogador e seu agente em busca de um desfecho. O gerente Edu Gaspar mantém contatos constantes para que a permanência esteja certa em sua cabeça.
Nas conversas, que se arrastam por alguns meses, a diretoria alvinegra já cedeu: o tempo de contrato será de três anos, como quer o peruano. Antes estava estabelecido que não passaria de um ano e meio. Já na questão salarial, o camisa 9 concordou em não pedir aumento (haverá apenas um reajuste que vai arredondar o valor na carteira de trabalho para R$ 500 mil mensais – o teto).
Apesar de os valores de luvas e salários serem considerados acima do patamar, o Corinthians acredita que compensa o investimento, mesmo que Guerrero já esteja com 30 anos. A avaliação é que não há no mercado ninguém no mesmo nível que custe menos (considerando valor de transferência, luvas e salários), e que o centroavante, além de já ser ídolo da torcida, poderá render e ser titular ao longo do próximos anos.
– Nós temos de mudar os parâmetros (financeiros) no futebol. Só que eu não conheço regra que não tenha exceção. O que é loucura? Talvez seja deixá-lo ir e depois arcar para repor a peça – afirmou o presidente Mário Gobbi Filho, ontem, à Rádio Globo.
Vejam bem a avaliação deste senhor (que é o presidente de um dos clubes mais importantes e midiáticos do nosso futebol), acho simplesmente fantástico esta maneira de aceitar as coisas, até porque o dinheiro não é dele (se fosse, as coisas seriam diferentes, podem ter certeza). Agora, uma verdade não deixa de ser "verdadeira", o clube tem nome, tem história e pode sim, levantar este dinheiro, com um Marketing bem feito, só que ninguém sabe, ninguém ver, tem as cláusulas de "confidencialidade", nos contratos, é incrivel, e o clube continua afundado em dividas.

PM-MG culpa clubes por restrição nos clássicos e diz que assunto está encerrado: só 1.854 atleticanos

© Getty Images No Mineirão, o palco do imponderável, tudo pode acontecer: virada do Cruzeiro ou goleada do Atlético-MG.


A pouco mais de 24 horas para o início da decisão da Copa do Brasil, Cruzeiro e Atlético-MG ainda não chegaram a um acordo sobre os ingressos da partida. O imbróglio ainda conta com a Justiça de Minas Gerais e o Superior Tribunal de Justiça Desportiva, que acabaram também se envolvendo na confusão. Apesar da briga nos bastidores, a Polícia Militar avisou aos clubes que não terá mais como mudar a disposição para receber visitantes no Mineirão. 
Na tarde desta segunda-feira, o STJD deu um prazo de 24 horas para o mandante se manifestar e cumprir a decisão de garantir pelo menos 10% das arquibancadas para os rivais, o que não aconteceu até agora. De acordo com a PM, no entanto, nenhuma mudança a mais será aceita, ou seja, apenas 1.854 atleticanos poderão entrar no jogo.
"Eu dei um prazo a eles no meio da tarde de ontem [segunda-feira]. Avisei que eles tinham até às 11 horas de hoje [terça-feira] para fazerem qualquer alteração. Não há condições técnicas de mudar mais nada. A polícia faz todo um planejamento para um evento como esse e não pode ficar mudando a qualquer hora. Então, não há a menor possibilidade de aumentar agora o número de visitantes no estádio", disse o coronel Ricardo Machado, chefe do policiamento especializado nesse tipo de evento, em contato com a reportagem.
O comandante ainda explicou que o espaço poderia ter sido maior se o Cruzeiro tivesse disponibilizado mais setores para os visitantes e afirmou que não foi a PM que restringiu o número, mas sim o clube mandante. Machado ainda lembrou do impasse do jogo de ida, o que para ele é o motivo central para toda a polêmica desta semana.
"Era só refazer a divisão de torcida. Se fosse destinado mais espaço, poderia ter mais visitantes. A PM não interfere em quantidade de público. Tem a capacidade máxima dos estádios, temos quatro laudos. Um deles é o de segurança. O clube apresenta para a polícia o espaço que quer destinar para os visitantes e a gente vê o que é possível fazer dentro desse local. Então, é importante isso ficar claro: a PM não estabeleceu nada. Se o clube quisesse, claro que poderia ter mais espaço", afirmou.
"Mas é importante a gente lembrar que na semana do jogo do Independência também houve uma polêmica entre os clubes. O Cruzeiro queria um espaço, o Atlético-MG deu outro. E agora está acontecendo exatamente a mesma coisa. A PM não tem o que fazer. O impasse começou no Independência e é claro que é isso que está pesando agora", finalizou.
Ainda assim, o Atlético-MG já avisou que não vai desistir do assunto. Além de não ter ainda recebido os ingressos referentes ao depósito de R$ 750 mil, o jurídico do alvinegro disse que vai pedir punição para o Cruzeiro por não ter tido acesso a mais lugares na decisão.

Seleção Brasileira conhece seus adversários na Copa América


Neymar e Zuñiga deverão ter um novo encontro na Copa América do Chile, no confronto do Grupo C


Colômbia de James Rodriguez cai no grupo da Seleção Brasileira na competição, que será realizada no Chile em junho do ano que vem.

O Brasil já sabe seus primeiros adversários na Copa América de 2015, que será realizada no Chile. O sorteio aconteceu nesta segunda-feira (24), em Viña del Mar, no Chile. Cabeça de chave do grupo C, o Brasil terá pela frente Colômbia, Peru e Venezuela. A seleção estreia contra o Peru, dia 14. 


O Chile é o cabeça de chave do grupo A e a Argentina, do B. Chile México, Equador e Bolívia formam o grupo A. O Chile estreia dia 11 contra a Bolívia. O grupo B é formado por Uruguai, Paraguai, Jamaica e Argentina.

As equipes participantes da competição foram divididas em potes. No pote 1 ficaram Colômbia, México e Uruguai; no 2 Equador, Paraguai e Peru; e Bolívia Jamaica e Venezuela no pote 3.

A seleção também já sabe em que estádios vai jogar na primeira fase da competição. A estreia do Brasil é no dia 14 de junho, no Estádio Municipal de Temuco. O Brasil também jogará no Estádio Monumental de Santiago e em Rancagua.

Avançam para as quartas de final os dois melhores de cada grupo, além dos dois melhores terceiros colocados. A próxima edição da Copa América acontecerá entre 11 de junho e 4 de julho de 2015.