Páginas

26 de fevereiro de 2015


Times europeus irão pedir compensação se a FIFA decidir realizar a Copa do Mundo de 2022, no Catar, em novembro e dezembro, e as ligas da Europa disseram que essa alteração de calendário causaria "um grande dano" ao futebol em seus países.

Enquanto isso, a Federação Internacional dos Jogadores Profissionais de Futebol (FIFPro, na sigla em francês) declarou que qualquer discussão sobre um encurtamento do torneio deve incluir seus membros e que continua igualmente preocupada com a questão dos direitos humanos na nação do Golfo Pérsico.

Uma força-tarefa da FIFA que examina datas para a Copa recomendou uma competição mais curta, realizada nos meses mais frescos de novembro e dezembro de 2022, após a última de suas três reuniões em Doha nesta terça-feira.

A recomendação será encaminhada para o comitê-executivo da FIFA para uma decisão definitiva em Zurique no dia 20 de março, pondo fim a uma saga de quatro anos a respeito do período adequada para o Mundial.

"Para a família do futebol, o reagendamento da Copa do Mundo da FIFA de 2022 apresenta uma tarefa difícil e desafiadora", disse Karl-Heinz Rummenigge, presidente da Assocção de Clubes Europeus (ECA, na sigla em inglês), em um comunicado.

"Todos os calendários de partidas do mundo terão que acomodar tal torneio em 2022/23, o que exige que todos estejam dispostos a ceder".

"Não se pode esperar que os clubes e as ligas da Europa arquem com os custos de tal reagendamento. Esperamos que os clubes sejam compensados pelo dano que uma decisão final causaria".

A Associação de Ligas Profissionais de Futebol Europeias (EPFL, na sigla em inglês) também discordou do evento em novembro e dezembro, afirmando que a proposta iria "perturbar e causar um grande dano ao andamento normal das competições nacionais europeias".

A EPFL reiterou que escolher maio seria uma opção mais branda para evitar o calor sufocante de junho e julho, período que foi descartado apesar de o Catar ter garantido que conseguirá erguer estádios naturalmente frescos.

O executivo-chefe do Campeonato Inglês, Richard Scudamore, disse ter havido pouco discussão no encontro desta terça-feira.

"Praticamente nos comunicaram, daí a decepção", afirmou.

A liga alemã declarou estar preocupada com os jogadores.

"Realizar a Copa do Mundo em novembro e dezembro é um fardo organisacional, assim como financeiro, para as ligas europeias", disse seu diretor-gerente, Andreas Rettig.

(Por Mike Collett, em Londres, e Karolos Grohmann, em Berlim)

Reuters

Palmeiras tem 28 jogadores emprestados e lista ainda vai aumentar

Seria possível preencher todas as 28 vagas permitidas para o Campeonato Paulista apenas com jogadores que estão emprestados pelo Palmeiras. São exatamente 28 atletas cedidos temporariamente a outros clubes e a lista ainda vai aumentar.
Na negociação que levou Robinho ao Alviverde, o clube emprestou Mazinho e se comprometeu a ceder mais dois jogadores ao Coritiba para a disputa do Brasileirão. Os nomes ainda não foram definidos. Além disso, o goleiro Raphael Alemão, o zagueiro Gabriel Dias, o lateral-direito Weldinho e o meia Lucas Morelato treinam em horários alternativos à espera de propostas.
Até atletas que estão no elenco principal do técnico Oswaldo de Oliveira ainda podem sair. Era o caso do lateral-esquerdo Mateus Muller, que participou do jogo-treino contra a Portuguesa, na segunda-feira, e nesta quarta assinou por empréstimo com o Atlético-GO - embora o clube goiano diga que o vínculo vai até o fim do ano, o Palmeiras e o estafe do atleta garantem que é só até o fim do Estadual.
Alguns jogadores perderam espaço com a chegada dos 19 reforços e recebem assédio frequente. São os casos do lateral-direito Ayrton e do atacante Maikon Leite. O primeiro voltou ao Palestra Itália em janeiro após empréstimo ao Vitória e teve algumas propostas recusadas pelo clube, mas agora está atrás de Lucas e João Pedro na preferência de Oswaldo. Já Maikon, sempre procurado pelo futebol mexicano após boa passagem pelo Atlas (MÉX), começou o ano como titular, mas nem tem entrado.
Entre os emprestados, alguns retornarão ao clube muito em breve. O atacante Luan já até treina na Academia de Futebol e nem deve retornar ao Sharjah FC, dos Emirados Árabes, com quem tem vínculo até o meio do ano. O também atacante Vinicius foi emprestado ao Capivariano só até o fim do Paulistão.
Outros nem voltarão ao clube, já que seus contratos terminarão junto com o empréstimo. São os casos dos goleiros Bruno e Deola e do atacante Tutinha, que nunca jogou entre os profissionais. Felipe Menezes, Mendieta, Patrick Vieira, Tiago Real, Rodolfo, Bruno Dybal e Mazinho estão entre os jogadores que terão de se reapresentar novamente na Academia em janeiro de 2016.
Veja a lista de jogadores emprestados:
Mateus Muller - Lateral-esquerdo (Atlético-GO)
Luan - Atacante (Sharjah FC)
Tutinha - Atacante (Volta Redonda)
Caio Mancha - Atacante (Guarani)
Diego Souza - Meia (Paulista)
Deola - Goleiro (Fortaleza)
Emerson - Atacante (América-RN)
Felipe Menezes - Meia (Goiás)
Chico - Atacante (São Bento)
Gilsinho - Atacante (Paraná)
João Denoni - Volante (Atlético Goianiense)
Ramos - Meia (Rio Branco)
Julio Cesar - Atacante (Independente de Limeira)
Rato - Volante (Grêmio Esportivo Osasco)
Patrick Vieira - Meia (Náutico)
Rodolfo - Atacante (Rio Claro)
Tiago Real - Meia (Bahia)
Vinicius - Atacante (Capivariano)
Bruno - Goleiro (Santa Cruz)
Bruno Oliveira - Lateral-direito (Penapolense)
Bruninho - Volante (Santa Cruz)
Fernando Carlos - Zagueiro (Barra Mansa)
Tinga - Volante (Avaí)
Miguel - Atacante (Bonsucesso)
Mazinho - Meia (Coritiba)
Bruno Dybal - Meia (Ventkoret Kofu-JAP)
Edilson - Meia (Juventude)
Mendieta - Meia (Olimpia-PAR)
Este é o nosso futebol, alguns feitos com improvização e outros (mas, muito poucos mesmo), com planejamento sério e responsabildade financeira. 

25 de fevereiro de 2015

Em primeiro projeto como deputado, Andrés quer criar 'Dia do Corinthians'

Eleito com 169.834 votos, Andrés Sanchez (PT-SP) apresentou à Câmara seu primeiro projeto como deputado federal. Em texto formulado ao lado de Goulart (PSD-SP), o ex-presidente do Corinthians quer instituir o dia 1º de setembro como o "Dia do Corinthians" em todo o Brasil.
O projeto de lei de número "324/2015" foi apresentado no dia 11 de fevereiro e aguarda envio para o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para ser votado pelos demais parlamentares ou arquivado. Não existe qualquer prazo, contudo, para isso.
Parceiro de Andrés na elaboração do projeto, Goulart também é figura conhecida no Corinthians, tendo sido apoiado oficialmente pela torcida organizada Gaviões da Fiel, a maior do clube alvinegro. Ele foi eleito com 92.546 votos nas últimas eleições.
No texto do projeto, os dois deputados contam brevemente a história do Corinthians e lembram que a cidade de São Paulo instituiu o dia 23 de abril como "Dia do Torcedor Corinthiano", na lei 14.399, de 5 de maio de 2007, proposta também por Goulart, então vereador.
"A história do Corinthians se funde com a própria história do esporte brasileiro e de sua sociedade, já que o Clube foi fundado por um grupo de operários e foi o primeiro clube de futebol paulista a aceitar jogadores pobres, além de ser o segundo no Brasil a aceitar atletas negros. Portanto a história do Corinthians, e sua contribuição para a sociedade brasileira, é muito maior do que simplesmente o jogo de futebol", justificam os deputados.
Para ler, na íntegra, o projeto de lei de Andrés e Goulart, clique aqui.